quarta-feira, 19 de junho de 2013

O PROTESTO

A onda agora, no Brasil dos brasis é o protesto.
Parece que descobriram essa palavra sem se perceber ou atentar para o real significado que ela tem.
No fundo, quando se olha, e quando se vê, (sim) porque olhar é diferente de ver, pois nem todos os que olham veem, e os que veem olham (bom deixa para lá)
Mas como eu estava dizendo, ou melhor: escrevendo.
Estão prostestando sem saber o que é protesto, ou o que é protestar.
E a causa? e o motivo? e a real razão?
Bom, parece que isso é de menos, o negócio mesmo é protestar, é ir para rua, e mostrar a cara e outras caras, e porque não dizer a bunda também, num completo desbunde, que como dizia Caetano:
"Esse papo seu tá qualquer coisa...." e como qualquer coisa, é que se vai fazendo, e em nome do protesto, quebra-se, queima-se, saqueia-se e banaliza-se o que já foi banalizado, e vandalizam-se o que já é banalizado.
Mas estão ai, e vão continuar, e a moda esta pegando, e o fogo vai pegar.
E quando estiver ateado, e ardendo, não haverá bonbeiro que consiga apagar.
Então, já, que a onda no momento é protestar,
Eu, como humilde escrivinhador, quero lançar aqui a proposta:
VAMOS FAZER UM PROTESTO CONTRA O PROTESTO????

terça-feira, 18 de junho de 2013

DECLAMAÇÃO DE POESIA

O POETA

O muro  separa
e a parede isola.
e, dentro das casas
o poeta chora

O muro,
a parede
e as casas
e o poeta implora.

 

POETANDO

De novo,
e sempre,
o poeta imola
A sua sorte
que esmola.

E de lágrima,
prantos e encantos
o poeta implora.



REVELAÇÃO



O poeta
geme
com alma gemida
e espremido suspira
seu desejo maior.

O poeta sonha
os sonhos de outrora
e assim a toda hora
revela sua dor.

A POETARIA

A constante

poetação do poeta




Mostra o quanto
sua alma
é inquieta




PINK FLOYD

POEMETOS

POEMETO I
o gato mia
enquanto a agoniza
em agonia.





POEMETO II

desde sempre
o final da tarde é triste.
foram poucos
os que não foram.







POEMETO III
A alma do poeta
busca refúgio
entre jardins inexistentes
e paisagens
de miragens.

POEMETO IV
A vida vai assim passando
como passa o sono
nos lençóis.